quarta-feira , 13 dezembro 2017

Cocaína

O que é?

Conhecida também como pó, farinha, coca, branca, branquinha, neve e outros, a cocaína é um poderoso estimulante, feita das folhas do arbusto de coca (Erytbroxylon Coca) existente na América do Sul: a boliviana (huanaco), a colombiana (novagranatense) ou a peruana (trujilense) Ela faz o cérebro liberar a dopamina, responsável pelo bem-estar.

A cocaína é vendida como um pó branco cristalino, misturada às substâncias como bicarbonato de sódio, açúcar, anfetaminas ou analgésicos, talco e até gesso, é inodor, tem sabor amargo e é insolúvel em água.

Quando se tornou ilegal?

Por volta de 1862, ocorreram as primeiras extrações do pó branco da planta de coca. Depois dessa data, a substância passou a ser utilizada como anestésico para cirurgias e até vendida em farmácias como remédio para melhorar a estima e aliviar o cansaço. A proibição no Brasil ocorreu em 1921, depois que muitos morreram por overdose.

Usando Cocaína

Normalmente é consumida por inalação, em que é dividida em linhas, tiras ou riscos em uma superfície lisa, chamadas “carreiras”, por meio de um canudo ou nota. Mas também pode ser absorvida pela gengiva, injetada ou misturada a outras drogas. O efeito começa após 5 minutos do uso e dura, em média, 30 minutos.

Altos e baixos

Uma dose de cocaína faz com que o usuário se sinta estimulado, sociável e extremamente confiante. Ela aumenta a concentração de serotonina e endorfina, substâncias responsáveis pela sensação de prazer (as mesmas substâncias que o cérebro libera quando você faz sexo ou come chocolate). A droga aumenta também o estado de alerta, com a liberação de adrenalina, o hormônio que lida com as situações de perigo e emoções de seu organismo, deixando a pessoa “ligada”.

A cocaína pode elevar a temperatura do corpo e a pressão sanguínea. Aumenta também o risco de infarto, pois a adrenalina faz o coração bater mais rápido, contraindo até os músculos que envolvem os vasos sanguíneos.

Ou seja, fica muito difícil para o coração bombear o sangue por aqueles canais, ele pode não aguentar e parar. Essa droga também está diretamente ligada a derrames e convulsões.

Um consumidor de cocaína é facilmente reconhecido por seu comportamento muitas vezes egoísta e prepotente. Quando o efeito passa, uma sensação de depressão pode tomar conta de seu corpo até dois dias depois do uso; é quando o cérebro está repondo as reservas de dopamina, isso faz com que aumente a fissura de usar mais da droga.

Os casos de mortes instantânea ocorrem com grandes quantidades de uso. Mesmo assim, doses menores podem matar, especialmente se o usuário for sensível à droga.

Sexo e Cocaína

A cocaína pode fazer o usuário sentir-se fisicamente forte, agressivo sexualmente e confiante. A droga faz com que ocorra aumento do desejo sexual, diminuindo o tempo da ejaculação, contudo, isso também pode dificultar a ereção, fazendo você se sentir impotente.

Sessões de sexo mais agressivas e longas podem ocorrer, aumentando o risco de o preservativo estourar. Os órgãos sexuais podem sangrar e há risco de contração de HIV, hepatite C e outras infecções.

Um relacionamento de longo prazo?

O risco de dependência é extremamente alto; quem usa perde a vontade de fazer qualquer outra atividade, já que sexo e outras atividades que antes davam prazer parecem brincadeira perto dos efeitos de uma dose forte de cocaína. A tolerância à droga surge na primeira dose, fazendo com que você tenha vontade de tomar doses cada vez maiores.

A cocaína é uma droga cara, fazendo com que o usuário chegue a vender coisas de casa e até objetos pessoais para sustentar o vício. Pode fazer também com que se desenvolva ataques de pânico, alucinações, depressão, paranóia e psicose. Quando você inala a droga, pode ocorrer sangramento, destruindo a mucosa do nariz e septo (a pele entre as narinas), acarretando também em problemas respiratórios, como a rinite.

Cocaína com outras drogas

Álcool – pode dar a sensação de estar sóbrio quando se está bêbado. Estas drogas se misturam no corpo e podem gerar uma substância chamada cocaetileno, uma toxina que danifica o cérebro, fígado e coração. Esta é a razão para os riscos maiores de morte súbita em pessoas usando álcool e cocaína junto.

Anfetaminas e Ecstasy – mais pressão no coração e na circulação, com maiores riscos de derrame e ataque cardíaco.

Anti-depressivos – pode causar a ‘síndrome da serotonina’. Agitação, batimentos do coração acelerados, suor, espasmos musculares e insônia. Assistência médica urgente é necessária.

É bom saber

Se você compartilha canudos ou notas para inalar coca, pequenas quantidades de sangue podem ir da mucosa do nariz de uma pessoa pra outra. Isto pode espalhar vírus do sangue, como a hepatite C ou HIV.

Estas drogas fazem o coração bater com mais intensidade e aumentam a pressão sanguínea, as pessoas que apresentam pressão alta, doenças no coração e outras doenças mentais, devem passar bem longe dessa droga.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*